San  o

Paróquia

Expedito

08 OUT 2013
08 de Outubro de 2013
Em meio à sessão tumultuada, a Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) aprovou em segundo turno, por unanimidade, na tarde desta quinta-feira (3), o PL 589/13 que, entre outros pontos, prevê o reajuste de 6,2% para os servidores da administração municipal da capital mineira. Muitos trabalhadores acompanharam a votação e, na entrada, houve confusão, empurra-empurra e bate-boca. Antes da apreciação do texto, a sessão foi interrompida para realização de uma assembleia dos servidores.

A polêmica acerca do projeto de lei se deu devido a outros assuntos que não estão relacionados ao reajuste. O secretário-geral do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), Israel Arimar, explica que o texto trazia emendas que contemplavam outras reivindicações dos trabalhadores, a exemplo do retorno do cargo de fiscal de nível médio da Vigilância Sanitária. “O projeto de reajuste dos servidores que foi encaminhado aqui para a Câmara, ele tinha várias outras questões que não têm nada a ver com reajuste, seria plano de carreira de trabalhadores, seria remanejamento de trabalhadores de uma secretaria para outra”, exemplifica.

Enquanto a sessão já era realizada no plenário da Câmara, representantes dos servidores e dos parlamentares se reuniram e firmaram um acordo para que o projeto de lei fosse aprovado. Durante interrupção dos trabalhos, a proposta foi apresentada por sindicalistas aos trabalhadores que ocupavam a galeria do plenário. “Pois bem, hoje chegou o impasse. O governo aceitou aceitar todas as emendas dos trabalhadores, exceto uma, que é uma tabela salarial dos ACE [Agente de Combate a Endemias] e ACS [Agente Comunitário de Saúde]”, pontua o secretário-geral do Sindibel. Depois de votação entre os servidores, ficou acertado que o acordo seria aprovado, conforme avaliação da maioria dos servidores presentes.

Segundo Arimar, a tabela salarial mantida no projeto, entretanto, não pode ser entendida como um plano de carreira para os agentes -- item de reivindicação dos sindicalistas. De acordo com o vereador Dr. Nilton (PSB), para discutir essa situação, há compromisso de se criar uma comissão. “O governo se comprometeu a montar uma comissão, com participação de trabalhadores, vereadores, para que possamos aprimorar algumas questões ainda desse plano que precisam ser resolvidas”, afirma o socialista.

Para Arimar, os trabalhadores ficaram parcialmente satisfeitos. “A gente sai satisfeito do ponto de vista que houve uma negociação. Mas a gente não sai satisfeito que esse processo seja conduzido dessa forma. Seja necessário até a última hora você ter essas indefinições”, avalia.

Reajuste
O texto aprovado prevê reajuste total de 6,2%. A partir de outubro, deve haver aumento de 2% no salário dos servidores, e, em novembro, serão incorporados os outros 4,2%. Os trabalhadores devem receber também abono de R$ 200, pago em parcela única. Agora, o PL segue para sanção do prefeito. A Prefeitura de Belo Horizonte informou que só vai se manifestar depois que receber o projeto com as modificações aprovadas.
Depois do encontro com as autoridades filipinas e o Corpo Diplomático, o Papa Francisco celebrou a Missa nesta sexta-feira na Catedral de Manila dedicada a Nossa Senhora da Imaculada Conceição, uma celebração particularmente dedicada ao Clero das filipinas. Participaram na Eucaristia, bispos, sacerdotes, religiosos e religiosos e seminaristas, para além de quase dois milhares de fiéis.

Cada cristão é chamado a uma vida honesta, mas também para "criar círculos de honestidade" – foi a mensagem do Papa Francisco durante a Missa nesta sexta-feira 16 de janeiro, onde falou de uma sociedade oprimida pela corrupção e a pobreza para, logo em seguida, sublinhar com energia e espontaneamente, que "os pobres são o centro do Evangelho e se nós tirarmos os pobres do Evangelho não podemos compreender a mensagem de Cristo". Outro aspecto fundamental das palavras do Papa o apelo às comunidades cristãs das Filipinas para estarem próximas dos excluídos da sociedade e proclamarem a beleza do matrimónio cristão.

Na homilia o Papa recordou antes de tudo a Igreja nas Filipinas que olha para o quinto centenário da sua evangelização, manifestando gratidão pela herança deixada por tantos bispos, sacerdotes e religiosos das gerações passadas que se esforçaram não só por pregar o Evangelho e construir a Igreja nesta nação, mas também por forjar uma sociedade inspirada pela mensagem evangélica da caridade, do perdão e da solidariedade ao serviço do bem comum. O Papa dirigiu-se depois aos religiosos chamando-os “embaixadores de Cristo” sublinhando que ser embaixador de Cristo significa, antes de tudo, convidar cada pessoa a um renovado encontro com o Senhor Jesus:

“Mas o Evangelho é também uma exortação à conversão, a um exame da nossa consciência, como indivíduos e como povo … a Igreja nas Filipinas é chamada a individuar e combater as causas da desigualdade e injustiça profundamente enraizadas, que desfeiam o rosto da sociedade filipina, contradizendo claramente o ensinamento de Cristo. O Evangelho chama os indivíduos cristãos a conduzirem vidas honestas, íntegras e solícitas pelo bem comum. Mas chama também as comunidades cristãs a criarem «círculos de integridade», redes de solidariedade que possam impelir a abraçar e transformar a sociedade com o seu testemunho profético”.

Para os sacerdotes e pessoas consagradas, continuou o Papa, a conversão à novidade do Evangelho implica um encontro diário com o Senhor na oração; para os religiosos significa encontrar na vida da comunidade o incentivo para uma união com o Senhor na caridade perfeita. E O Papa adverte:
“Naturalmente, a grande ameaça a isto mesmo é cair num certo materialismo que pode insinuar-se dentro das nossas vidas e comprometer o testemunho que prestamos. Somente o tornar-nos pobres, expulsando o nosso autocomprazimento, permitirá identificar-nos com os últimos dos nossos irmãos e irmãs. Veremos as coisas sob uma nova luz e, deste modo, poderemos responder, com honestidade e integridade, ao desafio de anunciar a radicalidade do Evangelho numa sociedade acostumada à exclusão, à polarização e a uma desigualdade escandalosa”.

O Papa Francisco tem também uma palavra especial aos jovens sacerdotes, religiosos, e seminaristas, pedindo-lhes para que partilhem a alegria e o entusiasmo do seu amor por Cristo e pela Igreja com todos, mas sobretudo com os da sua idade, e se mantenham presentes no meio dos jovens por vezes confusos e desanimados,  mas que entretanto continuam a ver a Igreja como sua amiga no caminho e uma fonte de esperança:

“Sede solidários com aqueles que, vivendo no meio duma sociedade molesta pela pobreza e a corrupção, sentem-se com o espírito abatido, tentados a largar tudo, deixar a escola e viver pela estrada. Proclamai a beleza e a verdade do matrimónio cristão a uma sociedade que é tentada por apresentações confusas da sexualidade, do matrimónio e da família. Como sabeis, estas realidades estão cada vez mais sob ataque de forças poderosas que ameaçam desfigurar o plano criador de Deus e trair os verdadeiros valores que inspiraram e moldaram quanto de belo existe na vossa cultura”.

O Papa concluiu com um pensamento em Maria, Mãe da Igreja, pedindo-lhe faça jorrar de todos uma grande abundância de zelo e possa o amor reconciliador de Cristo penetrar profundamente no tecido da sociedade filipina e, por intermédio da sua Igreja, nos ângulos mais distantes do mundo. (BS)
Voltar


Igreja Católica Ortodoxa (Paróquia Santo Expedito)

EndereçoRua Leopoldina Rêgo, 917 - Penha, Rio de Janeiro - RJ, 21021-523